Visitantes

14 de junho de 2013

O desapego do apego.


















Sei bem o gosto do cálice da dor,
E Incluo mil segredos para guardar este mistério.


Tenho o dom de aparecer, comparecer e desaparecer.
O dom de tatuar almas e marcar vidas,
Tenho sete existências
E um olhar abarco no firmamento das profundezas.


Se não morro de amor por ninguém
É porque me envolvo sem me envolver.

Domino a arte das palavras, dos sentidos e das caricias.
A ambição de não querer muitas coisas,
Não vivo mais para acumular bens
Mas para deixar saudade e não voltar nunca mais.







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os textos são autoria de Giliardi Rodrigues. Proibida a reprodução de qualquer texto sem prévia autorização do autor.

Leia mais

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...