Visitantes

24 de outubro de 2014

E há tempos...

















E há tempos que meu olhar não enxerga sentimentos,
Não perfura almas,
Não penetra na divisa do ser ou não ser.
E há tempos que meu olhar só olha no espelho
E vê apenas a imagem de barro
Que se fez da semelhança daquilo que me restou.
E há tempos que meu olhar devaneia pela razão,
Pela a vontade de se virar para dentro
E ouvir a voz do coração.
E há tempos que meu olhar se perde no momento
De ver o passado, repaginar o futuro
E focar inteiramente no presente.
E há tempos que meu olhar não perdoa
Não descreve a beleza
Que se ecoa na simplicidade de viver.
E há tempos que meu olhar não vê
Não quer enxergar
E não quer voltar avistar a realidade.









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os textos são autoria de Giliardi Rodrigues. Proibida a reprodução de qualquer texto sem prévia autorização do autor.

Leia mais

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...