Visitantes

9 de setembro de 2015

Eu, apenas eu ou minha nobre e pobre estoria.

Queria tanto contar uma estória;
Mas, não sei contar historia.
A minha estória não tem começo,
Não tem parágrafo
E não é dissertativa.
É uma espécie de crônica sem tempo,
De uma estrada sem acostamento,
De uma tese sem fundamento.
Contudo, é uma estória verdadeira.
É uma historia de vida,
De veias pulsantes,
De biscoito escaldado
E de cicatrizes calejadas.
Não é uma estória triste,
É uma historia comum
E ao mesmo tempo, transcendente.
É uma estória preta e branca,
Mas cheia de pomares
E flores como na estação de primavera.
É a historia de um homem que morreu
Mas, que ressuscitou e hoje está vivo.








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os textos são autoria de Giliardi Rodrigues. Proibida a reprodução de qualquer texto sem prévia autorização do autor.

Leia mais

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...