Visitantes

27 de fevereiro de 2017

Breve Eterno

Foi no pretérito meu verbo conjugado
Minha linda, minha flor, meu amor (...).
Agora me testo
Perco-me em poesias
Dedilho pestanas
Não sinto mais dor.

Apenas lembranças
Saudades
Um breve eterno
E um beijo marcado
Foi tudo o que ficou.

Lembro-me das primeiras palavras
Do mês, do dia e exatamente a hora.
Não olvido o tempo
Que dantes me remete agora.
Não esqueço o teu olhar
Teu sorriso
O frio que sentia na barriga
E o calor que aflorava em meu peito.

Mas o tempo passou
O verbo se conjugou
E o breve eterno acabou...
Chorei e sofri; Mas passou.
E eu entendi.
Continuei meu caminho
E hoje estou aqui (sem ela),
Mas sereno, realizado e feliz.









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os textos são autoria de Giliardi Rodrigues. Proibida a reprodução de qualquer texto sem prévia autorização do autor.

Leia mais

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...