Visitantes

28 de março de 2017

28 de fevereiro de 1996




O tempo conjugou o verbo no pretérito imperfeito e sem querer afirmou o que não deveria dizer – quem sabe em alhures ou num futuro mais próximo?

Ao proferir a verdade
Um esboço descrito em uma folha de papel
Ou simplesmente uma expressão.

Ninguém sabe onde tudo começou
Ninguém sabe quando tudo vai acabar
O bonde da historia segue em movimento
Sem saber o destino a chegar.

Enquanto isso (...),
Vou andando pelas marquises da vida
E aprendendo a viver.
-Descobrindo um novo compreender.

A vida ama quem ama a vida
E dá prazer a quem sabe viver. 







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os textos são autoria de Giliardi Rodrigues. Proibida a reprodução de qualquer texto sem prévia autorização do autor.

Leia mais

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...