Visitantes

10 de novembro de 2016

Ela (...).




A minha esperança dilacera
Na incerteza que não espera
Era bela, era ela (...).
Era uma beleza rara “anela”,
Um desvelo de primavera.

Anos passavam
E no meu coração guardava
O alvitre quimera.
Os pássaros cantavam
E nada olvidava
A lembrança que guardo dela.







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os textos são autoria de Giliardi Rodrigues. Proibida a reprodução de qualquer texto sem prévia autorização do autor.

Leia mais

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...