Visitantes

29 de dezembro de 2013

Dor é fraqueza saindo do corpo




Fito os olhos no infinito E penso que lá posso chegar;
Confesso ter muito medo, mas o medo não pode me parar.
Disseram-me que existem “limites”
Penso que o meu borne é apenas uma linha imaginária.
Corro, caio, levanto, luto, perco, ganho... (mas nunca desisto).
Doa a quem doer vou até o fim,
Seja este “fim” meu final ou a finalidade da minha vida.
Já dizia o mestre (Rabi);
Os medrosos, os tímidos e covardes não herdarão o reino.
Sei que não sou melhor e nem pior que ninguém,
A vida me ensinou na dor, no sofrimento e na luta.
Descobri que a maior virtude de um vencedor é nunca se entregar,
A sina de um campeão é lutar, lutar, lutar...
Foi apanhando que ganhei resistência
E com a resistência conheci o cálice com o fel da dor.
Os fracos não querem sentir a dor,
Os fortes resistem à dor,
Os guerreiros procuram e sentem prazer na dor. 








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os textos são autoria de Giliardi Rodrigues. Proibida a reprodução de qualquer texto sem prévia autorização do autor.

Leia mais

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...