Visitantes

16 de setembro de 2012

Espelho da alma, ou Nenhuma aliança entre os dedos.


Quando olhei no espelho vi uma imagem fosca e opaca;
-“Era minha alma!”.
Percebi a falta de poesia, de encanto e de amor.
Por esta efígie indesejável que dilacerava
Se abafando em silencio com a calma
Que me matou pelos anos sem sentir dor.

Com este vazio que reside dentro de mim
Tentei preencher com os prazeres da vida,
Alimentei meu corpo e adoeci minha alma;
Agora por este caminho perto do fim
Imerso meu coração nesta jazida
Para não mais viver com culpa e sem calma.

Não há lugar para esconder a desilusão
Por alimentar falsos pensamentos
Arraigados de superficiais sentimentos.
Quem me dera agora olhar para o espelho
E novamente gargalhar de mim mesmo
Por ser tão dramático sem nenhuma aliança entre os dedos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os textos são autoria de Giliardi Rodrigues. Proibida a reprodução de qualquer texto sem prévia autorização do autor.

Leia mais

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...